Publicado em Dicas

10 dicas para as mães de primeira viagem

Normal ficar preocupada no primeiro momento, por isso listamos 10 dicas para você ser uma ótima mãe de primeira viagem e cuidar da melhor forma do seu bebê

Juntamente com o nascimento do primeiro filho nasce também aquele turbilhão de sentimentos, alegria, amor e felicidade misturados com medo, insegurança e preocupação.

Isso é extremamente normal e toda mãe de primeira viagem tem essa confusão de sentimentos. Por isso, primeiramente, saiba que o primeiro filho não é um bicho de sete cabeças e que vai dar tudo certo.

Ter um filho é uma grande experiência, mas não deixe que se torne uma experiência desgastante para você. Toda mãe precisa aproveitar ao máximo seus filhos e, por isso, fizemos esse artigo com dicas para mães de primeira viagem para que vocês consigam curtir seus filhos sem grandes preocupações.

Separamos 10 dicas para mães de primeira viagem, sendo 5 dicas para as mães não se preocuparem em determinadas situações e 5 dicas do que não se deve fazer.

5 dicas para mães de primeira viagem

É normal ficar preocupada sempre. Achar que tem alguma coisa de errado com o seu bebê recém-nascido por ele estar chorando muito, achar que ele está mamando pouco e até cobri-lo com milhões de cobertores para que ele não fique com frio.

Listamos 5 dicas e você verá que todas as suas preocupações são normais.

– Chorar é normal

Não precisa ficar preocupada se o recém-nascido começar a chorar bastante. É normal o bebê chorar até 3 horas por dia.

Para saber o motivo, não tem outro jeito se não for na base da exclusão. Veja todas as alternativas. Se você acabou de dar de mamar, verifique as fraldas, veja se as roupas estão confortáveis ou se estão molhadas, converse com o bebê, abrace-o. Nos primeiros meses os bebês recém-nascidos costumam ter muitas cólicas e conversar com ele ou cantar uma canção pode ajudar o bebê a se acalmar.

– A amamentação é o suficiente

Muitas mães de primeira viagem acham que somente a amamentação não oferece uma alimentação saudável, completa e balanceada para o bebê. A verdade é que o leite materno é a alimentação mais forte que o seu filho pode ter e ele é o suficiente para o recém-nascido ter uma alimentação completa.

O leite materno só não será o suficiente se a mãe estiver com baixa produção de leite. Se esse for o caso, então será necessário completar a alimentação com mais algum alimento.

A melhor forma de saber se a criança está se alimentando bem, é observar o ganho de peso do bebê. Se ele estiver ganhando um peso considerável, então o leite materno está o alimentado bem.

– O bebê não está passando frio toda hora

Pode estar um calor de 40 graus que, mesmo assim, mães de primeira viagem vão encher o bebê de agasalhos, toucas, cobertores, tudo o que for quente o bastante para que ele não passe frio.

No calor, não é necessário empacotar a criança de tanto agasalho. Isso não fará bem para ela. Use roupas de bebê que o deixem confortáveis e dê preferência para roupas leves e frescas.

– Saiba quando o bebê está cansado

Diferentemente das pessoas mais velhas que quando estão cansadas tudo o que querem é deitar na cama e dormir, com os bebês recém-nascidos não funciona assim.

Nos primeiros meses, um bebê cansado não é sinônimo de um bebê dormindo. Na verdade, quanto mais cansado ele estiver mais difícil será a tarefa de colocá-lo na cama. Isso acontece porque quando o bebê está muito cansado ele tende a ficar bem irritado e, consequentemente, mais difícil de acalmar.

O segredo é perceber quando o bebê está começando a ficar cansado e já colocá-lo no berço neste momento, antes que ele fique mais sonolento, irritado e agitado.

Busque sinais como bocejo, esfregação de olhos, punhos cerrados, puxadas de orelha. Esses são alguns sinais de que o recém-nascido está começando a ficar bem cansado e com sono.

– Peça ajuda

Por mais que pareça, você não é uma heroína. Você também fica cansada, exausta e precisa relaxar. Por isso, não tente fazer tudo sozinha.

Os pais de primeira viagem também estão do seu lado para te ajudar. Fora dar de mamar, os pais podem fazer as mesmas coisas do que a mãe. Então, não se sinta mal de deixar o bebê com o pai ou com outra pessoa da família. Você não está fazendo nada de errado.

É fundamental que a mãe não se desgaste muito, especialmente para conseguir cuidar do recém-nascido do jeito que ele merece, com o máximo de disposição e alegria.

Então, peça ajuda para cuidar do seu bebê. Não somente em deixar ele no colo de outra pessoa ou ajudar a fazer a mamadeira, mas se você estiver com alguma dúvida sobre como proceder em determinada situação. As mães mais experientes, como a sua mãe ou sogra, são especialistas em dar bons conselhos para as mães de primeira viagem.

5 dicas que evitarão erros das mães de primeira viagem

Saiba que a maternidade é um processo de aprendizado constante. É preciso ter calma e paciência para entender o bebê. Existem erros frequentes que mães de primeira viagem cometem, como esquecer do resto da vida e só dar atenção para o bebê ou esquecer-se de se alimentar bem.

Listamos 5 dicas para as mamães não cometerem tais erros.

– Não se isole com o bebê

É normal mães de primeira viagem terem medo de sair com os filhos por causa de bactérias e germes. Claro, é preciso ter cuidado, mas não é necessário trancar-se em casa.

Os passeios com os bebês recém-nascidos são de extrema importância, pois é com o contato com o mundo exterior que eles irão desenvolver anticorpos e irão se desenvolver com muito mais saúde. Ficar sempre dentro de casa pode fazer com que o bebê tenha baixa imunidade e adoeça com facilidade.

Além disso, é provável que a mãe fique entediada e solitária se ficar o tempo inteiro dentro de casa. Por isso, para o seu bem e a do seu filho, saia para passear com a criança e mostre esse mundão lindo para ela.

– Se alimente bem

Não é só o bebê que precisa estar bem alimentado. É fundamental que a mãe também se alimente bem e descanse sempre que possível.

Para conseguir produzir uma boa quantidade de leite, a mãe precisa ter uma alimentação saudável, comer um pouco mais e ingerir líquidos regularmente.

– Não imponha horários

Nos primeiros meses, o bebê não tem horário certo, então nem adianta ficar impondo isso para ele. Não tem hora certa para mamar, dormir, acordar. O bebê recém-nascido tem o seu próprio ritmo. Ela vai mamar quando sentir fome, irá dormir e acordar quando quiser.

Além disso, nessa fase da vida, o bebê ainda também não tem capacidade hormonal nem neurológica de entender e aprender a seguir horários.

Isso deve ser ensinado aos poucos. Por exemplo, se ele acordar no meio da noite não precisa se desesperar. Pode esperar um pouco para ver se o bebê para de chorar e volta a dormir. Isso o ensina a conseguir retomar o sono sozinho. Claro, se o choro persistir, é porque ele precisa de algo e precisa ser atendido.

– Se cuide

Está dica está relacionada com a de se trancar em casa e esquecer do resto da vida. Não faça isso, pois o seu filho precisa ter uma mãe saudável.

Então, aos poucos, vá retornando a suas atividades do dia-a-dia, faça exercícios físicos que ajudarão no retorno do seu peso antes da gravidez, além de aumentar a autoestima e aumentar a produção de leite.

Se você esquecer de si mesma e não cuidar da saúde, pense que não estará cuidando da saúde do seu filho, pois não estará disposta para atender as necessidades dele.

– Só gaste com o essencial

Muitas mães de primeira viagem ficam encantadas com a quantidade de produtos disponíveis para os bebês e querem comprar tudo o que olham pela frente.

Nesse primeiro momento, tente gastar com o que é essencial para o seu filho para que não falte nada para ele. Se gastar tudo com itens supérfluos, pode acabar faltando alguma coisa que seu filho precise. Dê atenção para o que é mais importante e depois pense em complementos.

Com essa dica, além de ter mais itens de necessidades básicas, você também gastará muito menos dinheiro e conseguirá economizar para coisas que realmente importam.

Depois dessas dicas, você estará pronta para o nascimento do bebê e será uma ótima mãe de primeira viagem. Agora é só curtir essa experiência e esse momento incrível que é o nascimento do primeiro filho.

Publicado em Postagens

Saiba como as brincadeiras na educação infantil podem ajudar no desenvolvimento do seu filho

As brincadeiras infantis ajudam demais no desenvolvimento das crianças. Conheça algumas brincadeiras.

É normal ouvir os mais velhos dizerem que são eles que tiveram a melhor infância, em que se brincava na rua sem nenhum perigo. O crescimento da tecnologia no mundo atual fez com que todo mundo esquecesse das verdadeiras brincadeiras infantis e fez com que as crianças crescessem em um mundo virtual onde suas brincadeiras ficam na tela de um celular.

As brincadeiras infantis ajudam, no desenvolvimento motor, cognitivo, social e afetivo da criança, mas a verdade é que existem brinquedos próprios para cada faixa etária.

As brincadeiras desenvolvem a autonomia e ajudam a perder a timidez, pois nas atividades em conjunto essa barreira pode ser quebrada. Por isso, antes do celular, é melhor investir em brincadeiras mais socializáveis, onde as crianças possam interagir.

A brincadeira significa mexer com o universo lúdico da criança, de instigar sua imaginação. Ao se deparar com um jogo, com algum brinquedo ou brincadeira, ela cria, descobre e experimenta coisas, compara um jogo ao outro, reinventa uma brincadeira, experimenta algo novo.

A imaginação da criança se desenvolve cada vez mais juntamente com as suas habilidades. E se as brincadeiras na educação infantil forem feitas em grupo, irá desenvolver a sociabilidade.

As crianças, além de fazerem amigos, serão ensinadas a aprender e compartilhar, a respeitar os outros e a respeitar algumas normas.

Brincar com atividades lúdicas na educação infantil também é muito importante para a saúde física e, principalmente, para a emocional e intelectual. Isso porque o brincar é uma atividade prazerosa para a criança e sem as brincadeiras lúdicas seria um tédio para elas o processo de aprendizagem.

Além da extrema importância no desenvolvimento da criança, as brincadeiras na educação infantil também ajudam a liberar energia.

Como já dito, atualmente as crianças ficam muito tempo em jogos no celular e dentro de casa. Em detrimento de ficarem do dia inteiro dentro de casa essas crianças têm energia de sobra.

Os pais podem não perceber e nem mesmo a criança, mas por ficar todo dia dentro de casa assistindo algum canal de desenho animado ou com algum jogo eletrônico a criança vai acumulando energia e em algum momento precisará extravasar.

Claro que não é preciso proibir o uso de tecnologias, mas é indicado que a criança desfrute dos dois momentos. Limite um tempo a televisão e outro tempo para brincadeiras infantis

As brincadeiras infantis tradicionais são ótimas para desenvolver a integração e a cooperação entre elas. Elas são tradicionais, mas podem ter ficado esquecidas com o tempo. Listamos 5 brincadeiras e o que elas podem ajudar no desenvolvimento do seu filho.

O mestre mandou

Essa brincadeira infantil é bastante conhecida e consiste em escolher alguém que será o “mestre” que escolherá alguma coisa para as demais crianças pegarem ou fazerem. Quem não cumprir, estará fora.

Essa brincadeira ajuda a desenvolver a liderança, pois faz a criança se sentir mais confiante, além de trabalhar a capacidade de inventar coisas, mexendo com a imaginação e desenvolvendo a memória.

Ciranda

“Ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar”, quem não conhece essa música, não é? Nessa brincadeira infantil, onde todos ficam de mãos dadas enquanto ficam girando e cantando cantigas, se desenvolve o trabalho em equipe.

As crianças estreitam os laços, pois estão dançando e cantando juntas, além de ficarem mais extrovertidas. Outro benefício é a noção de espaço e equilíbrio, já que está fazendo tudo em conjunto.

O cantar na educação infantil também ajuda no domínio da linguagem e melhora a desenvoltura da criança ao se comunicar.

Cabra-Cega

Cabra-cega é outra brincadeira que ajuda a desenvolver o equilíbrio e noção de espaço da criança. Por uma das crianças estar vendada e precisar correr atrás das outras sem enxergar, essa brincadeira ajuda a ter mais controle sobre o próprio corpo.

Por estar vendada, essa brincadeira infantil também ajuda a desenvolver todos os sentidos. Sua audição, olfato e percepção ficam mais aguçados.

Ajuda também na confiança, já que ficar sem visão pode proporcionar desconfiança e medo. Mas essa brincadeira ajuda a encarar os desafios, fazer novas descoberta e faz a criança acreditar mais em si mesma.

Esconde-esconde

Outra brincadeira também muito famosa. O esconde-esconde desenvolve o senso competitivo da criança, estimula sua reflexão estratégica e melhora seu desempenho na velocidade e na resistência física.

Atividades competitivas auxiliam as crianças na integração ao grupo, a superar seus limites e a ensinam a lidar com perdas.

Amarelinha

Por último uma brincadeira que todo mundo gosta, é fácil e ainda ajuda no físico.

Por ter que pular em um pé só, a amarelinha auxilia bastante no desenvolvimento do equilíbrio e noção de espaço, além de também ajudar a fortalecer os músculos inferiores.

Não tem dúvidas que as brincadeiras infantis são muito importantes na educação infantil para o bom desenvolvimento do seu filho. Então estimule-o você a sair para brincar com os amigos, que além de se divertir, aprender e se fortalecer, ele ainda vai gastar todas a energias e ter uma ótima noite de sono.