Publicado em Postagens

O que esperar na hora do desfralde do meu bebê?

bebe-desfraldando

Mamãe, não sabe mais o que fazer porque a criança faz xixi ou cocô na calça vezes seguidas e não consegue aprender a pedir quando tem vontade? Calma, pois seu filho ainda é um bebê e precisa de muita ajuda e paciência, ajudando-o a passar por essa fase da maneira mais natural possível.

Geralmente, o bebê começa a ter necessidade de deixar as fraldas a partir dos dois anos de idade, pois nesta idade já tem condição de segurar a vontade e controlar os músculos e nervos do ânus e da uretra.

Embora realmente não seja uma tarefa simples, com um pouco de paciência e compreensão, muito incentivo e carinho, você conseguirá, junto com seu bebê, atingir este objetivo que é tão importante na vida infantil dele de uma forma bem descomplicado. E, o primeiro passo que você deve colocar em prática para o início do desfralde é observar se o seu bebê já está preparado. Listamos alguns sinais que demonstram a necessidade de independência da fralda do bebê:

– Seu bebê já tem coordenação para falar sem muita dificuldade e andar, sem estar caindo;

– Ele já faz muito xixi de uma só vez;

– Seu bebê já evacua sempre nos mesmos horários e regularmente;

– A fralda fica sempre sequinha entre os cochilos ou por pelo menos duas horas;

– O bebê não consegue mais ficar com a fralda suja, ele pede para trocar ou simplesmente arranca sozinho.

Mas atenção é muito importante o seu incentivo e estímulo, porém, é importante também saber respeitar o tempo e ritmo do bebê, cada criança possui o seu próprio ritmo.

Qual a melhor época para o desfralde do meu bebê?

A melhor fase do ano para fazer essa mudança é no verão, porque as crianças usam menos roupas e há uma diminuição natural do xixi, já que transpiram mais.

O uso de fraldas noturnas só devem ser suspensa após a criança já conseguir entender e fazer tudo no penico ou vaso sanitário durante o dia, observe também se a criança acorda com a fralda seca a maioria das vezes. Isso se repetindo por noites seguidas, é hora de arriscar. Mas, se depois da retirada, a criança começar a fazer xixi à noite novamente, vale voltar atrás e dar tempo ao tempo. Para facilitar esta parte do desfralde, não ofereça líquidos à criança poucas horas antes de dormir. Pais, a técnica que vocês adotarem em casa precisa ser feito na escola, converse com as professoras e funcionários da escola, vocês conseguirão achar uma maneira boa para ambas as partes. Na creche, a retirada da fralda pode ser mais fácil porque uma criança se espelha em outra, que já está adiantada nesse processo, querendo igualar-se a ela.

Outro fator muito importante: não recrimine ou mostre frustração ao seu filho quando o xixi ou cocô escapar. Lembre-se que criança precisa ser estimulada a acertar na próxima vez. Quando isso acontecer, comemorações e elogios são essenciais!

Publicado em Postagens

Os dentes do bebê estão nascendo, qual mordedor pode ser o mais indicado?

dente_de_leite-710x400Basta os primeiros dentinhos darem o ar da graça para o bebê se transformar de uma criatura calminha para um babador de primeira! Nesta fase também, os bebês costumam sentir-se mais irritados, e mesmo o mais calmo dos bebês, acaba se tornando o mais chorão de todos! Os primeiros dentinhos podem ser um pequeno transtorno para o bebê, pois causam mudanças significativas no corpo do pequeno e também os incômodos que não são poucos podem mudar e muito o seu humor.

Quando os dentes do bebê começam a despontar?

Os mais precoces podem romper o primeiro dente (normalmente o incisivo central inferior) já com três meses, enquanto outros podem ter de esperar até quase um ano.

Os últimos dentes (os segundos molares, no fundo da boca) costumam já ter nascido no segundo ano de vida. Com três anos, seu filho deve ter o conjunto completo: 20 dentes de leite.

 Se o seu bebê tem estes sinais, logo os primeiros dentinhos irão apontar:

– Baba (que pode depois provocar uma irritação na pele ao redor da boca)

– Inchaço e sensibilidade na gengiva

– Irritabilidade e mau humor

– Tentativa de morder tudo o que está pela frente

– Falta de apetite

– Problemas para dormir
Em alguns casos, podem acontecer de aparecer alguma alteração no cocô, nariz escorrendo e muitas vezes até febre, pois cada bebê é diferente do outro.

O que fazer para amenizar a irritabilidade e desconforto do bebê?      

Muitas vezes, os mordedores podem seu uma ótima opção, pois o movimento de “mastigar” que o bebê faz no mordedor ajuda a diminuir a irritabilidade e ajuda também no despontamento do dente. Mas além do mordedor, muitas mães optam por pomadinhas próprias para a gengiva sensível do bebê (geralmente, as mesmas possuem agente com camomila, para acalmar a irritabilidade), chás para acalmar o bebê e algum remedinho via oral, no caso se houver febre e por indicação médica.

Qual mordedor é indicado para o meu bebê?

Os mordedores em forma de chupeta massageiam suavemente a gengiva e assim, mantém as mãos dos bebês livres para brincar, enquanto aliviam a tensão causada pela coceira. Este tipo de mordedor é indicado para bebês que os dentes apontam a partir dos três meses, porém, não existe nenhuma contra indicação a respeito de bebês maiores usarem este tipo de mordedor.

Para os bebês que gostem de pegar as coisas, os mordedores em forma de brinquedos, muitas vezes com uma base para pegar são os ideais, a partir dos sete meses, idade em que a curiosidade e a coordenação dos bebês afloram, os mordedores em formatos de bichinhos, mãos e pés são muito bem aceitos. A partir do Nono mês, os mordedores com chocalhos são uma boa pedida.

A partir do primeiro ano, os bebês já possuem certa independência, e muitas vezes os mordedores mais comuns não são o suficiente, pois não desperta mais a curiosidade dos pequenos, sendo assim o indicado nessa idade seria os mordedores com funções educativas. Geralmente nesta fase, são recomendados os alimentadores como uma função de mordedor, pois estimula também a alimentação do bebê.

Caso o seu bebê não se adapte a mordedores e outras soluções citadas acima, fique tranquila e converse com o pediatra, ele irá passar dicas de como agir da melhor forma nesta fase do seu filho!