Publicado em Imprensa

Passo a Passo para organizar o chá de bebê

dlqdjr4q21dzvp4fr0xmcmld4

Um dos momentos mais prazerosos da gestação, é organizar o chá de bebê! A chegada de um novo membro na família é sempre motivo de comemoração. Mas muitas vezes a organização pode ser cansativa, principalmente para as futuras mamães! Que tal fazer esta parte, um momento divertido e prazeroso em todos os detalhes? Hoje, trouxemos dicas para tornar a organização muito mais divertida e prazerosa!

Passo 1:

Lista de convidados:

Tradicionalmente, é uma festa feminina, porém, hoje em dia, muitos homens participam também, o famoso chá bar. Mantenha na sua lista, pessoas mais próximas a você e terá futuramente contato com o seu bebê.

Convites:

Hoje em dia, com a era digital, os convites impressos são mais raros. Opte por convites digitais, pois assim você terá mais comodidade para entregar e não haverá perca de tempo com entregas, muitas vezes com pessoas que moram mais distantes. Peça a confirmação também dos convidados, é importante pois assim você consegue organizar a festa de acordo com a quantidade de convidados que estarão presentes.

Passo 2:

A escolha do local e do horário:

Fim de semana é sempre mais indicado e, de preferência, durante o dia. Assim a grávida se cansa menos e ainda ganha tempo para relaxar depois que o evento terminar. A festinha pode acontecer na casa da futura mamãe, na casa de amigos, no salão de festas do prédio, em um bar ou um restaurante. A única preocupação é que o espaço seja confortável o suficiente para acomodar todo mundo.

Escolha dos presentes:

Confira as coisas que o bebê já tem, e elabore uma lista apenas com coisas que faltam, faça essa lista com no máximo 1 mês de antecedência. Para a distribuição dos presentes dos convites, procure por coisas simples, como itens de higiene, banho, brinquedinhos mais baratos como chocalhos, macacões e mijões, e principalmente fraldas são essenciais e não costumam ser opções difíceis e caras para os convidados.

Passo 3:

Comes e bebes para o evento:

Não há muito segredo para um cardápio de chá de bebê. Você pode optar por salgadinhos, mini sanduíches, e outros petiscos fáceis de “beliscar” são uma ótima opção, sucos e refrigerantes para beber são ótimas opções.

Decoração e brincadeiras:

Por ser uma festa mais informal, o chá de bebê não exige uma decoração muito elaborada e, principalmente, cara. Aliás, o desafio é exatamente esse: criar um ambiente agradável e divertido sem gastar muito. Defina o tema do chá de bebê e pense na decoração a partir dele, você pode optar por simplesmente decorar o espaço com itens típicos de uma festa infantil, como guardanapos e copos coloridos e bexigas. Além dos sempre infalíveis arranjos de flores para a mesa principal – onde ficarão os comes e bebes -, uma ideia bacana e simples é decorar com potes transparentes repletos de jujubas, balas e pirulitos. Isso dará ainda mais colorido à festa. Não se esqueça de arrumar um local para os convidados colocarem os presentes. Idéias como usar desde um berço ou carrinho de bebê, ou até uma caixa de papelão grande bem decorada, são muito criativas.

Brincadeiras:

A mais famosa parte do evento, em que os convidados interagem com os futuros pais, são as brincadeiras, muitas delas onde o pai e a mãe tentam adivinhar cada presente. Hoje em dia, existem muitas brincadeiras para o Chá de bebê:

  • Mamãe tenta adivinhar quem deu a fralda ou outro item da lista com uma dica escrita no próprio presente: por exemplo, “sou alta e dorminhoca”.
  • Batata-quente com fralda suja (não precisa ser de verdade): quem ficar com a fralda na mão ao final da música sai da brincadeira, o vencedor ganha uma lembrança.
  • Cada convidado deposita em um saco uma mensagem para o bebê, que mais tarde será lida em voz alta no meio da festa: depois que a primeira mensagem for dita, o autor se identifica e lê a seguinte e assim segue a brincadeira.
  • Convidados tentam adivinhar o sabor das papinhas. A diversão é ver a cara de nojo de alguns deles.
  • Durante a abertura dos presentes, a futura mamãe, com ajuda do papai, deve trocar a fralda de uma boneca, dar banho nela, cantar música de ninar e outras atividades típicas da maternidade.
  • Adivinhar o tamanho da barriga da mamãe: convidados recebem um rolo de barbante e uma tesoura e fazem o corte no ponto que acreditam marcar a circunferência da cintura da gestante; quem acertar, leva um brinde.

Passo 4:

Lembrancinhas para os convidados:

Você pode optar por coisas bem simples, feitas por você ou já prontas. Desde bonequinhos feitos em biscuit personalizados até pequenas suculentas com etiquetas com o nome do bebê são opções válidas. O importante é deixar a imaginação fluir na hora da escolha das lembrancinhas!

Anúncios
Publicado em Imprensa

Dicas para a viagem com o bebê

bebe-viagem

Com feriados prolongados e a aproximação do final de ano, chegou a hora de começar a preparar a viagem de férias, e para quem tem bebê pequeno em casa o planejamento é mais complexo. É fundamental levar em consideração e prever todas as necessidades que um bebê terá fora de casa. Confira algumas dicas essenciais para viajar com o seu bebê sem dor de cabeça.

– Se for uma viagem de carro, seguir sempre a risca as especificações da cadeirinha de transporte e bebê conforto, lembrando que elas devem sempre estar viradas em direção ao vidro traseiro no banco de trás;

– Se for uma viagem de avião, amamente o bebê no momento da decolagem e no momento da aterrisagem, o movimento de sucção ajuda a diminuir as dores de ouvidos causadas pela pressão da troca de altitude;

– Leve sempre sacos ou sacolas plásticas, para armazenar fraldas sujas; creme para assaduras e soro fisiológico (será muito útil caso o bebê fique com o nariz entupido)

– Leve também filtros solares e chapéus para proteger sempre do sol;

– Se a viagem for de carro, leve sempre painéis escuros para prender no vidro e proteger o bebê do sol;

– Carregue fraldas e papinhas o suficientes apenas para o trajeto da viagem, pois assim sua bagagem fica mais leve e você pode carregar o bebê com mais facilidade, deixe para comprar o suficiente para a estadia no local do destino, se a viagem for de avião, uma opção para manter a mãos mais livres é carregar o bebê em um sling ou um canguru;

– Para os bebês que não amamentam mais no peito, leve sempre o leite em pó e água fervida, leve sempre uma medida a mais para ocasionais imprevistos. Não leve a mistura pronta, pois pode acontecer de estragar no caminho;

– Leve sempre a mão um babador plástico, pois são muito práticos na hora da limpeza se houver algum incidente;

– Leve uma toalha ou edredom mais grosso e pequeno que não ocupe muito espaço na mala, para servir de colchão para o bebê se esticar e descansar durante a viagem;

– Certifique-se que o local de destino possui algum berço para acomodar o bebê, se não houver, leve um berço portátil.

Publicado em Imprensa

O sono do bebê: Mitos e Verdades

bebe dormindo

Um dos maiores desafios dos pais com seu bebê, é a hora de dormir. Nem sempre é fácil, pois muitas vezes o bebê ou a criança ainda tem energia a gastar justamente no horário que os pais determinam. Para alguns pais sortudos, é só embalar o bebê e logo ele cai no sono. Mas na maioria dos casos, quem dera fosse simples assim. Junto com este “desafio da hora de dormir”, surgem os conselhos e mitos, muitas vezes indicados por avós ou outra pessoa próxima. E hoje, vamos listar alguns mitos e verdades a respeito do sono dos pequenos!

O que é mito e o que é verdade a respeito do sono do meu bebê?

O bebê aprende a dormir sozinho? Mito!

Pode ser que o seu filho nunca tenha demonstrado nenhum tipo de dificuldade na hora de ir para a cama, mas esse comportamento é exceção, segundo estudos, apenas 10% dos bebês desenvolvem a capacidade de adormecer sozinhos, empregando recursos como se balançar, segurar um paninho ou chupar o dedo. Os demais têm de ser ensinados. Por muitas vezes, é impossível que você consiga acostumar um bebê a dormir a noite toda, pois nesta fase, eles repetem sempre um ciclo de mamar, fazer cocô e sono, o ideal para começar este processo do sono, é a partir do quinto mês.

Para o bebê dormir bem, a rotina é necessária? Verdade!

A criança precisa de fato, uma rotina estabelecida para ter uma boa noite de sono, Uma pesquisa recente da Universidade de Saint Joseph (EUA) confirma essa necessidade. Foram estudadas 405 famílias, com filhos de 7 meses a 3 anos. Os resultados mostraram que o simples fato de a criança ir para a cama no mesmo horário todas as noites melhora a continuidade do sono noturno e, consequentemente, contribui com o bom humor das mães. Mas essa regularidade só é possível a partir do quinto mês, quando o bebê já produz um hormônio que induz a sonolência, chamado melatonina. É aí que se deve estabelecer um ritual de sono, repetindo-o todas as noites, antes de colocar a criança na cama.

Não é bom para o bebê dormir de barriga cheia? Verdade!

É totalmente desaconselhável colocar a criança para dormir após mamar, ou ter feito alguma refeição, por mais leve que seja, pois além de causar uma congestão, a criança pode regurgitar o alimento e aspirar diretamente para o pulmão. O ideal é oferecer o alimento a criança até duas horas antes do horário de dormir, pois assim, o organismo do bebê tem tempo de fazer a digestão do alimento.

Se o bebê não dormir durante o dia, ele vai dormir a noite toda? Mito!

Um recém nascido pode dormir em torno de 16 a 19 horas diárias, distribuídas igualmente entre o dia e a noite. “Com o passar dos meses, o sono se concentra à noite e vai gradativamente diminuindo durante o dia. Por volta dos 6 meses, o bebê dorme em torno de 12 horas diárias, com um sono predominantemente noturno, e tira duas ou três sonecas, com duração média de uma hora cada.

Se o bebê dormir no colo, ele acostuma e não consegue dormir depois no berço? Verdade!

Se os pais sempre embalam o filho no colo, estão ensinando que é dessa forma que se adormece, e, acredite, ele assimilará essa informação. Quando acordar no meio da noite, é possível que chore e fique assustado por não reconhecer onde está. Para evitar noites conturbadas, o ideal é que, desde o início, os pais deixem a criança pegar no sono no próprio berço.

É comum o recém nascido trocar o dia pela noite? Verdade!

É muito comum isso acontecer nos três primeiros meses de vida do bebê, pois eles ainda não percebem a diferença entre dia e noite. Com 6 meses, o sono já deve estar concentrado no período noturno. Para evitar que a troca aconteça, não custa reforçar que os pais precisam estabelecer regras e rotina, com horários regulares para dormir.