Publicado em Imprensa

Saiba como escolher o tamanho das roupas de bebê e criança

Entenda como funciona a numeração de roupas infantis e saiba montar um guarda roupa para bebê do tamanho certo

A moda infantil é uma realidade cada vez mais presente no dia a dia das crianças. É ainda claro que eles não têm a noção de estilo de um adulto e a preferência de presentes ainda continua sendo por brinquedos e eletrônicos. Porém é notável o crescimento dos pequenos que começam a se interessar pela maneira de se vestir, e por escolher seu próprio estilo e suas próprias roupas infantis.

saiba-como-escolher-o-tamanho-das-roupas-de-bebe-e-crianca

No caso de roupas para bebês, a situação fica mais fácil, afinal as peças são mais parecidas entre si e os pequeninos não têm o discernimento de escolherem o que realmente querem vestir. Sem um gosto próprio, fica muito mais fácil montar o enxoval do bebê com as peças que os pais compram ou ganham dos amigos.

No entanto, há uma questão que traz preocupações para os adultos. Além do ato de agradar a criança com uma roupa infantil há a sempre o problema de acertar o tamanho da roupa de bebês e crianças.

Por isso, a Kids Shop preparou esse guia especialmente para você não se perder na quantidade de tamanhos e modelos de peças de roupa para crianças existentes. Desde recém-nascidos até jovens adolescentes o trabalho de numeração das peças é muito bagunçado.

Pensando nisso, foi criada pela ABNT, Associação Brasileira de Normas Técnicas, e tem a idéia de criar uma espécie de sistema de indicação, que unifique todos os tamanhos de roupas de bebê e crianças de maneira mais fácil e compreensiva, de acordo com a média da medida dos corpos.

saiba-como-escolher-o-tamanho-das-roupas-de-bebe-e-crianca-01

Lembrando sempre que estes números são baseados em medidas médias de várias partes do corpo, como tórax, quadril, cintura, ombro, bíceps e outras, esta tabela serve apenas como um guia básico que muitas empresas estão utilizando para criar seus produtos. Portanto, sempre existirão casos em que uma criança de três meses precisará de uma roupa de bebê tamanho G, enquanto outra, também com três meses, utilizará uma P, pois as medidas são calculadas de maneira média.

O que foi agregado com a criação desta tabela de tamanho de roupas de bebê e criança é que as fábricas agora têm um padrão a seguir, então sem mais dos casos de fábricas que possuem a mesma roupa M de tamanhos diferentes.

Como ver as roupas de bebê e escolher o tamanho corretamente

Mesmo que seja um problema que envolva várias idades, o erro de tamanho em roupas infantis é mais comum em bebês de até quatro anos. O importante é seguir algumas dicas para cada fase de vida, assim fica muito mais fácil dar a peça de roupa de bebê mais estilosa e que caiba.

Por exemplo, para roupas de bebês recém nascidos. O tamanho RN é o primeiro a se pensar e também o primeiro a parar de servir. O peso de um recém nascido normal varia entre 2,5 e 3,8 quilos e o comprimento vai de 46 a 54 cm.

saiba-como-escolher-o-tamanho-das-roupas-de-bebe-e-crianca-02

Se no pré-natal, a mãe já souber que o seu filho nascerá grande ou pesado, é melhor ajeitar a lista do enxoval de bebê para conter poucas roupas de bebê recém-nascido. Em muitos casos, a criança nem chega a usar, passando direto para o tamanho P. O ideal é que roupinhas para bebê recém nascido sejam blusas de manga longa e calças compridas. As mais quentinhas possíveis.

Abuse dos bodies, camisetas, culote e pagão por baixo dos macacões. E complete o enxoval do bebê com bodies de manga curta ou sem manga, já que o macacão continuará aquecendo o bebê.

saiba-como-escolher-o-tamanho-das-roupas-de-bebe-e-crianca-03

Já na utilização de roupas infantis de tamanho P, entre 1 e 3 meses, pode-se continuar no mesmo esquema anterior, com body, culote, pagão e macacão longo, também se arriscando em peças de roupas para bebê mais modernas e vaporosas, como banhos de sol, vestidos e conjuntos. Caso esteja mais frio, prepare para ver roupas de bebê, no estilo moda inverno infantil, como moletons e casacos.

Dos 3 aos 6 meses é a fase onde o bebê começa a ficar mais ativo. E é também a fase onde ele começa a utilizar roupas infantis no tamanho M. Então, invista em roupas de bebês mais confortáveis, exatamente para o dia a dia. Portanto, evite elásticos apertados, botões, tecidos ásperos e tudo que possa atrapalhar a movimentação do bebê.

saiba-como-escolher-o-tamanho-das-roupas-de-bebe-e-crianca-04

Porém, mantenha algumas roupas de criança mais modernas, para ocasiões especiais. Neste tamanho, já é possível encontrar modelos de roupas de adulto em vestimentas de bebês, como calças jeans, camisas, sobreposições e muito mais.

Entre os 6 e 9 meses, os macacões são geralmente deixados de serem utilizados. As roupas infantis ganham contornos de modelos mais adultos. Conjuntos de calça, camisa e agasalho são muito melhores para os movimentos, pois nesta fase, geralmente o engatinhar já está em fôlego total.

Portanto, na hora da lista do enxoval para bebê, compre macacões do RN ao M e aposte em outros modelos mais confortáveis, acima desse tamanho. E compre alguns modelos GG também. Muitas confecções não oferecem este tamanho, mas para evitar um guarda roupa de bebê desfalcado, você precisa ter, pelo menos algumas, para serem utilizadas entre 9 e 12 meses.

saiba-como-escolher-o-tamanho-das-roupas-de-bebe-e-crianca-05

Presentear uma criança com uma roupa infantil pode parecer muito difícil. Mas com as dicas certas, a escolha fica muito mais fácil de ser feita. Tudo depende da idade e das características que a criança tem.

E a Kids Shop tem todos os modelos. Acesse o site da loja  para comprar roupas de bebê e confira as melhores ofertas de roupas estilosas para bebê e crianças, perfeitas para montar seu enxoval de bebê com tranquilidade, além de bolsas e malas maternidade para poder carregar todos os itens.

 

 

 

Anúncios
Publicado em Dicas

O que levar na Mala Maternidade

Leve tudo o que você precisa nessa hora tão importante, com uma mala arrumada

o-que-levar-na-mala-de-maternidade-do-bebe.jpg

Fazer uma mala é uma missão sempre difícil. Ainda mais quando se é para um dia tão especial. Depois de nove meses sentindo uma vida crescendo dentro de você, é hora de ele vê-lo pela primeira vez. Mas, como se preparar para esse momento tão importante, sem se esquecer de levar nada? O que colocar na bolsa para a maternidade?

Por isso é necessário arrumar a mala maternidade, com antecedência. Exatamente para evitar que objetos importantes sejam deixados para trás. É aconselhável que ela já esteja pronta por volta da 36ª semana de gestação, para que nada te tire o foco enquanto estiver em trabalho de parto, a caminho do hospital.

Separando os itens

Para uma melhor organização, a primeira sugestão é separar a mala maternidade da mãe da mala maternidade do bebê, pois é necessário levar muita roupa. Se o parto for normal, e tudo correr bem, a mãe será liberada em um dia. No caso de cesárea, são três dias de internação. E a ideia é ter roupas sobrando para passar esses dias.

o-que-levar-na-mala-de-maternidade-do-bebe-02.jpg

Priorizar o conforto também é importante, afinal é um momento de muito esforço e concentração. Também não é necessário se preocupar com fraldas descartáveis, pois elas costumam ser cedidas pelo hospital.

Outra dica importante é verificar a época em que seu filho vai nascer se será verão ou inverno, pois isso pode decidir entre roupas de bebê recém-nascido mais leves, caso esteja calor, ou mais pesadas, caso no frio.

A Mala Maternidade do Bebê

o-que-levar-na-mala-de-maternidade-do-bebe-03.jpg

Sobre a lista de roupinhas para a mala do bebê, o que normalmente se pede no hospital é: macacões no tamanho RN, bodies ou camisa tipo pagão e calças tipo mijão, casaquinhos de lã (que tenham botões na frente, para não passar pela cabeça), xales de linha ou de lã (para caso esteja frio), uma manta de algodão, algumas fraldas de tecido, paninhos de boca e meias, caso esteja frio também.

Os hospitais sempre pedem mais roupas do que o bebê vai realmente usar, para garantir que não haja algum imprevisto. Portanto, já se programe para levar muitas trocas. As maternidades pedem para que não seja usado lacinhos e nem pulseiras, pois elas podem se perder durante as trocas.

Uma maneira fácil de guardar as roupas do bebê recém-nascido é dividi-las já por conjuntos para cada dia e guardar separadamente. Como, geralmente, o banho é acompanhado, não há necessidade de numerar ou marcar as peças.

A Mala Maternidade da Mãe

o-que-levar-na-mala-de-maternidade-do-bebe-04.jpg

Item primordial na bolsa da maternidade da mãe, os documentos devem estar todos juntos e já arrumados. RG, CPF da mãe e acompanhante, carteirinha do plano de saúde e todos os exames realizados durante o pré-natal.

Depois dos documentos, hora de pensar nas roupas para a maternidade: No mínimo três camisolas ou pijamas (com abertura na frente), um conjunto de roupas bem confortáveis para a saída do hospital, calcinhas grandes, para ficarem confortáveis com absorventes grandes e pós-parto, sutiãs de amamentação, meias e chinelo.

o-que-levar-na-mala-de-maternidade-do-bebe-05.jpg

Produtos de higiene pessoal, como xampu, condicionador, sabonete, escova e pasta, entre outros. A maternidade pode até oferecer, mas provavelmente você vai querer os produtos os quais você está acostumada. Com os absorventes, é a mesma coisa. O hospital oferece, mas você pode querer usar o que você gosta.

Câmeras fotográficas com pilhas e carregador, lembrancinhas, enfeites de porta e outros itens opcionais também são incluídos nessa bolsa de maternidade. Afinal, sempre vai ter um pai querendo registrar todo esse momento em detalhes.

Lembrando que, quanto mais cedo for arrumado, melhor para lembrar-se de todas as coisas. Faça uma lista dos itens mais importantes e confira-os enquanto estiver arrumando a bolsa da maternidade.

o-que-levar-na-mala-de-maternidade-do-bebe-06.jpg

Existem malas maternidade de vários tamanhos, modelos e preços, escolha a que melhor se adequa a sua necessidade. Acesse o site da Kids Shop e veja os modelos.

Publicado em Dicas

Como escolher o berço para bebê

Escolher o berço certo é uma tarefa difícil. Mas algumas regras podem te ajudar na procura

como-escolher-o-berco-do-bebe.jpg

Noites de sono bem dormidas são muito importantes para todos. Principalmente para as crianças. Por isso, uma das escolhas mais importantes que uma mãe precisa fazer é o berço para o bebê, afinal é aí em que eles passarão os primeiros meses de vida.

Os modelos são os mais variados. Há vários tamanhos, formatos e funcionalidades possíveis e imagináveis. Alguns deles, inclusive, podem acompanhar seu filho até os dois anos. Por isso que este é um item que precisa de atenção redobrada na hora de ser comprado.

Muitas vezes, pais e mães escolhem berços por design e beleza. Porém não se pode tirar da mente que, além desses dois pontos, a segurança é imprescindível e deve ser fator de decisivo de compra. Pensando nisso, a Kids Shop reuniu as melhores dicas para você não errar na hora da compra.

Escolhendo o melhor berço

Antes de qualquer coisa, sempre observe se o berço escolhido tem o selo do Inmetro, importante centro de pesquisa brasileiro sobre produtos. O aval dele na peça já pode ser considerado como um primeiro fator eliminatório na escolha do móvel perfeito.

Tamanho

como-escolher-o-berco-do-bebe-01.jpg

Primeira dúvida crucial dos pais é sobre o tamanho do berço, para que o bebê fique confortável. O padrão mais utilizado é o berço americano, com o espaço interno de 1,30 m de comprimento por 70 cm de largura. Com as grades e mais alguns adereços, esse tamanho pode chegar a ser de 15 a 20 cm maior.

Outra opção seria o padrão brasileiro, cujo tamanho interno é de 1,30 m de comprimento por 60 cm de largura. Em lojas especializadas, é possível encomendar uma peça sob medida, porém isso dificulta achar enxoval de berço.

Segurança

Decididas as medidas do lado interno do berço do bebê, é necessário se atentar a algumas medidas do lado de fora também. São elas que garantem a segurança do seu filho, enquanto ele não está sob supervisão. Todas elas determinadas pelo Inmetro, em sua resolução de 2011. A grade lateral, por exemplo, deve ter um espaçamento mínimo de 4,5 cm e máximo de 6,5 cm, para que a criança não possa passar a cabeça no vão.

como-escolher-o-berco-do-bebe-03.jpg

Há também a determinação de que, entre a grade e o estrado, o espaço não possa passar de 2,5 cm, para que a criança não prenda uma perna ou um braço entre os dois. A altura da grade é outro ponto importante. Ela precisa ser de, no mínimo, 60 centímetros. Para que a criança não tente pular, quando ficar maior.

Detalhes menores

Há alguns outros detalhes que também merecem atenção na hora da pesquisa. Como o berço ter cantos arredondados e quinas, para que a criança não se corte, parafusos que usem porcas de encaixe ou bucha americana, pra não ficar para fora do móvel.

O estrado precisa ter a base ajustável, devendo exigir o uso de ferramentas ou uma operação por um sistema de travamento. Já as ripas precisam estar separadas por, no máximo, 6 cm de distância. O que distribui o peso do seu bebê por todo o sistema e evita que seu filho caia por baixo.

como-escolher-o-berco-do-bebe-04.jpg

Outro ponto é o travamento da grade móvel. Elas devem vir com trava automática e devem precisar de força para operação, exigir duas ações para destravamento, ao menos, e que esse dispositivo seja duplicado. Caso haja rodízios, 2 deles tem que conter sistema de travamento.

Checando as reclamações

Importante também é ver a reputação da empresa. Checar na internet e sites, como o Reclame Aqui, os maus comentários sobre a marca ou o produto é imprescindível para evitar más escolhas. Opiniões de amigos e familiares que já utilizaram berço também podem ser ouvidas.

Outro ponto importante é testar o produto com movimentos simples, como levantar e abaixar a grade, andar pela loja, verificar se o protetor de berço está bem preso, para ver se ele não está bambo ou atende ao que você precisa.

Há também a opção de o berço ser feito por um marceneiro. Neste caso, apenas basta imprimir as regras da ABNT e passar para o profissional. Vale também pedir para que ele atente ao tipo de tinta que utilizará. Ela não pode ser tóxica e nem conter traços de chumbo nela.

como-escolher-o-berco-do-bebe-05.jpg

O tamanho do quarto também pode ser um influenciador na decisão. Devido a quantidade de modelos e funcionalidades que o berço possui, ele pode ter mais funções além de manter o sono do bebê. Caso o espaço para ele seja pequeno, pode-se optar por um com cômodas, trocadores ou gaveteiros acoplados. Há ainda os que viram cama, depois do seu uso. Funcionais para economizar dinheiro futuramente.

Com essas dicas em mãos, hora de sair e procurar o melhor berço para seu bebê e acesse o site da Kids Shop para ver os melhores enxovais para o berço do seu bebê.

Publicado em Dicas

Decorando o quarto do bebê

Solte a imaginação e deixe o quarto do bebê perfeito para a chegada dele

decorando-o-quarto-do-bebe.jpg

Já ensinamos aqui no blog como escolher o berço para bebe para que ele se ajuste a sua necessidade e o tamanho do seu quarto. Porém ainda há um quarto inteiro para você mostrar sua criatividade para a decoração.

Tão importante quanto escolher onde seu filho vai dormir, é também montar este local com todo o carinho do mundo. Porém, quais objetos para decoração escolher? Quais as cores e qual papel de parede utilizar para um quarto de bebê?

Não precisa se desesperar. A Kids Shop reuniu as melhores dicas de decoração para você montar melhor o quarto de bebê.

Paredes

Para as paredes, é possível usar e abusar das cores para o quarto do bebê. Porém, utilize tons mais leves. Facilitam para a criança dormir, pois tranquilizam, e são melhores para combinações. Sempre lembrando de utilizar tintas atóxicas e que evitem a proliferação de bactérias.

decorando-o-quarto-do-bebe-02.jpg

Não há restrições para quartos de bebê masculino ou quarto de bebê feminino. Deixe a sua imaginação fluir usando as tintas para padronizar o quarto, dividir o ambiente ou até criar desenhos na parede.

Papel de parede também é uma boa para o quarto do bebê, mesmo sendo mais complicado trabalhar, por conta da cola ter cheiro forte. Uma ideia de decoração é utilizar apenas para fazer detalhes ou desenhos imprimir e colar. Seu uso mais comum cobrir a parede inteira, tudo depende da sua imaginação e do que você quer fazer.

Piso

decorando-o-quarto-do-bebe-03.jpg

Para o chão, é mais recomendado algum tipo de piso frio, por ter uma limpeza mais prática, utilizando apenas um pano úmido. Por ele ser frio, uma dica de decoração é comprar um tapete, para evitar que você fique com os pés frios direto no chão.

Pisos de madeira também são indicados para a decoração do quarto, pois não roubam calor do ambiente, deixando-o mais quente. Porém, é necessário mais atenção com líquidos, para que eles não empenem.

Móveis

Escolher os móveis para o quarto do bebê depende muito de uma coisa: O tamanho disponível. Quanto menor o quarto, mais necessário será ter móveis conjuntos. Como um berço já com trocador ou com cômoda, que ocupam menos espaço.

decorando-o-quarto-do-bebe-04.jpg

Customize os móveis para quarto de bebê. Pinte, com tinta atóxica sempre, troque os puxadores por alguns mais infantis ou até alguns de cristal, facilmente encontrados em lojas de ferragens especializadas.

Priorize um espaço mais aberto e com fácil movimentação na decoração do quarto, é preciso chegar rápido no berço. Evite deixar móveis no meio do caminho, criando um corredor aberto.

decorando-o-quarto-do-bebe-05.jpg

Sobre os enfeites para o quarto do bebê, prefira os mais fáceis de limpar, que não acumulam poeira. Luminárias de parede também podem fazer parte da decoração, iluminando certos pontos importantes ou presas na parede, servindo de suporte para alguns enfeites.

Com essas dicas, qualquer mamãe e papai estão prontos para montar o quarto do pequeno que está por vir. Agora é só soltar a imaginação e curtir o trabalho.

Publicado em Dicas

Dicas de alimentação saudável para seus filhos

Uma pequena ajuda para fazer seu filho gostar de uma boa refeição saudável

Pequenos hábitos começam na infância. Muitos deles nos acompanham até a idade adulta e pode interferir em outras áreas, como a saúde. O hábito alimentar saudável é um bom exemplo. Em uma pesquisa publicada na revista Clinical Pediatrics, foi revelado que é nos primeiros anos de vida que uma pessoa aprende como se alimentar corretamente.

Os benefícios de se ter uma alimentação saudável são muitos. Encher seu filho dos nutrientes certos vai fazer com que ele cresça saudável e com vitalidade. Porém, fazer com que os filhos sigam essa alimentação correta não é uma tarefa muito fácil.

alimentacao-infantil-saudavel

Pequenos hábitos começam na infância. Muitos deles nos acompanham até a idade adulta e pode interferir em outras áreas, como a saúde. O hábito alimentar saudável é um bom exemplo. Em uma pesquisa publicada na revista Clinical Pediatrics, foi revelado que é nos primeiros anos de vida que uma pessoa aprende como se alimentar corretamente.

Os benefícios de se ter uma alimentação saudável são muitos. Encher seu filho dos nutrientes certos vai fazer com que ele cresça saudável e com vitalidade. Porém, fazer com que os filhos sigam essa alimentação correta não é uma tarefa muito fácil.

dicas-de-alimentacao-saudavel-para-seus-filhos-02

Muitos pais oferecem alimentos processados para as crianças, o que dificulta a criação de paladar, pois mistura sabores e aromas, além de interferir na aparência. Há também o problema das guloseimas, como biscoitos, iogurtes, doces, entre outros, que não trazem valor nutricional nenhum para a alimentação infantil.

Cuidar de uma alimentação saudável para crianças parece uma tarefa muito difícil. Mas com essas dicas você vai tirar de letra como manter seu filho saudável e com bons hábitos ou de como fazer uma reeducação alimentar correta, caso seja necessário.

Pontos importantes para uma refeição saudável

  1. Estimule o hábito do café da manhã

A refeição mais importante do dia precisa ser estimulada em todos os momentos da vida. Enquanto dormimos, passamos um longo período em jejum, onde o corpo consome energia acumulada para se manter funcionando. Ao acordar, os níveis dessas substâncias estão muito baixos e precisam ser repostos.

dicas-de-alimentacao-saudavel-para-seus-filhos-03

O café da manhã com comida saudável tem a função de repor essa energia. Além disso, estudos indicam que o café ajuda no controle da ingestão de alimentos no resto do dia. Por isso que ele precisa conter o cardápio nutricional de alimentos essenciais para essa reposição: Os carboidratos, como pães integrais e torradas, as proteínas, como queijos brancos e leite, além dos reguladores, como as frutas.

  1. Estabeleça horários para refeições

Outro ponto importante de manter uma rotina de alimentação saudável é manter horários fixos para as refeições, sempre considerando o sono do seu filho. Isso auxilia no metabolismo da criança e faz com que ela entenda melhor as sensações de fome e de saciedade. O ideal é montar um cardápio nutricional de seis refeições por dia: Café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia.

dicas-de-alimentacao-saudavel-para-seus-filhos-04.jpg

Porém cada pessoa tem um metabolismo diferente, então observe seu filho e monte a quantidade de refeições saudáveis a partir disso. Este planejamento auxilia até no controle de tempo dos pais, que podem se programar melhor preparar as refeições.

  1. Ofereça água para seu filho sempre, mas nunca nas refeições

Item importante na Educação Alimentar e Nutricional, sempre ofereça água para seu filho. Quanto mais novo, mais rápido a desidratação ocorre. A média recomendada é de seis a oito copos pequenos por dia. Sucos industrializados também são permitidos, desde que sejam diluídos em água, para reduzir a quantidade de açúcar no produto.

dicas-de-alimentacao-saudavel-para-seus-filhos-05

Porém, ofereça apenas depois das refeições. Nunca ofereça nenhum líquido enquanto ela estiver comendo. Ingerir bebidas, mesmo água, durante as refeições pode fazer com que seu filho se sacie mais rápido e coma menos, diminuindo a ingestão de alimentos saudáveis.

  1. Deixe a criança comer o quanto quiser

Pais têm a tendência de fazer pratos para os filhos com uma quantidade semelhante a sua, esquecendo que o estômago infantil tem uma capacidade gástrica muito menor. Isso pode fazer com que a criança se assuste ou até perca o apetite. Até os dois anos de idade, a criança já tem noção de quando está saciada e já começa a obedecer a ordem do organismo.dicas-de-alimentacao-saudavel-para-seus-filhos-06.jpg

Se os pais insistirem em que ela se alimente mais, ela pode fazer isso apenas por agrado e podem perder essa habilidade, podendo assim dilatar o estômago, tornando uma pessoa obesa. Para não exagerar, perceba por algum tempo como seu filho come. Assim, você perceberá o padrão existente na quantidade, para servir como guia.

  1. Evite as guloseimas

Alimentos sem valor na tabela nutricional de alimentos, como biscoitos, salgadinhos, refrigerantes e balas devem ser evitados sempre, mas principalmente nos dois primeiros anos. São alimentos de muito valor calórico e que não acrescentam em nada para o organismo.

dicas-de-alimentacao-saudavel-para-seus-filhos-07

Muitos contém aditivos químicos que são muito prejudiciais a longo prazo, pois podem elevar o risco de doenças como obesidade, diabetes ou hipertensão arterial. Um bebê criado com alimentação saudável vai perceber que sobremesa é fruta, não doce. Mesmo que depois tenha contato com produtos industrializados.

  1. Lugar de comer é na mesa

Além dos horários para as refeições, é necessário também que a criança seja estimulada a saber que aqueles momentos são prazerosos e não devem ter a atenção dividida com mais nada. Principalmente para as crianças mais novas, que podem prestar atenção nas texturas, nos sabores e, principalmente, aprender a identificar quando a fome acabou.

A TV é um dos principais problemas. Seu excesso de cores pode fazer com que a criança não preste atenção na comida, podendo até não comer nada. O correto é sentar-se a mesa junto aos outros familiares, a fim de fazer uma refeição saudável.

  1. Aprenda a cozinhar

Segundo alguns especialistas, um dos fatos mais importantes pelo qual as famílias comem mal é a falta de tempo e de disposição em cozinhar uma comida mais saudável. Problema mais recorrente na correria das grandes cidades, ele pode ser resolvido de maneira muito prática.

dicas-de-alimentacao-saudavel-para-seus-filhos-08.jpg

Divida o serviço entre os pais. Distribua as tarefas e organize tabelas de horários para que alguém seja o cozinheiro, em forma de revezamento. Existem livros completamente voltados para cozinheiros de primeira viagem. Além do mais, cozinhar é um prazer que deixa os pais mais conscientes sobre as vantagens de como se alimentar corretamente.

Seja criativo nas refeições

Crianças têm uma afeição muito visual a comida. Portanto use e abuse das misturas e dos desenhos na hora de preparar as refeições. Incentive-as a provar novos sabores, texturas e ver o que ela realmente gosta ou não.

dicas-de-alimentacao-saudavel-para-seus-filhos-09.jpg

Com os pequeninos, improvise nas papinhas, diversificando os ingredientes utilizados, mas sempre garantindo a entrega dos nutrientes necessários ao crescimento do bebê. Isto é importante pois, quanto mais seletiva este cardápio, maior as chances de ela começar a ser seletiva na adolescência.

  1. Faça uma refeição com seu filho

Crianças aprendem por imitação. Elas observam os hábitos alimentares, os trejeitos e outras características dos adultos a mesa e tentam imitá-los. Por isso é tão importante que os pais se organizem para ter, no mínimo, uma refeição com os pequenos.

dicas-de-alimentacao-saudavel-para-seus-filhos-10.jpgA criança começará a associar a hora das refeições com divertimento, relaxamento e prazer. Brincadeiras, conversas e, claro, uma refeição saudável com uma alimentação correta, só ajudam a ter uma educação alimentar e nutricional perfeita.

  1. Seja o exemplo

Porém, nada nesta lista será útil se não for aplicado em você também, papai ou mamãe que está lendo este texto. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, 40% dos adultos brasileiros são obesos, o que prova que a má alimentação reflete nos pequenos. Não adianta um casal desregrado, que come sanduíche no almoço tentar ensinar o filho que ele deve comer frutas e legumes.

dicas-de-alimentacao-saudavel-para-seus-filhos-11.jpg

Se ele não presenciar a cena da família se alimentando corretamente, nada fará sentido. Para uma melhor modificação para hábitos saudáveis, é necessário que se faça isso controlando a partir da gravidez, com a alimentação da gestante. Uma mudança dessa magnitude geralmente é difícil. Mas renderá muitos frutos.

Com essas dicas qualquer papai ou mamãe estará pronto para ensinar seu filho os benefícios de uma alimentação infantil saudável e balanceada.

 

Publicado em Dicas

Estimulação precoce para a inteligência emocional e cognitiva da criança

Os pais são o primeiro contato da criança com o mundo externo. E a Kids Shop te explica o porque este contato é tão importante

estimulacao-precoce-para-a-inteligencia-emocional-e-cognitiva-da-crianca

O padrão de aprendizado infantil é muito mais rápido que o de um adulto. Suas funções cerebrais são mais voltadas para este lado, de entender o mundo, o que está acontecendo ao seu redor, devido a fatores genéticos e ambientais. Os pais têm um peso importante nesse processo de aprendizagem. Afinal, eles são o primeiro contato da criança com esse vasto mundo que a aguarda.

Porém sua participação pode ser muito mais importante e essencial quanto se imagina, por meio de um método de ensino e aprendizagem infantil chamado estimulação precoce. Como o próprio nome já diz, consiste em desenvolver e potencializar as funções do cérebro do bebê, através de jogos, exercícios, técnicas, atividades e outros recursos, estimulando áreas como a criatividade e beneficiando seu crescimento pessoal, seja física ou mentalmente.

Diferentes dos animais, os seres humanos são muito dependentes dos pais durante os primeiros anos de vida. Demoramos mais tempo que os animais comuns para praticar funções motoras mais básicas, como caminhar. Ainda mais porque essas habilidades básicas estão completamente relacionadas à sobrevivência. Sem elas, somos apenas criaturas frágeis e indefesas. Por isso a importância dos pais na educação dos filhos.

Eles são o elo entre um cérebro voltado para o aprendizado e um mundo cheio de sensações. Pois com seu apoio nos métodos de aprendizagem, esse é um processo que passará de maneira muito natural para a criança. E se eu te disser que existe um jeito de melhorar esse processo de aprendizagem? É isso que é a estimulação precoce faz. Ela acelera o processo, fazendo com que os bebês amadureçam melhor e sejam capazes de enfrentar qualquer situação.

estimulacao-precoce-para-a-inteligencia-emocional-e-cognitiva-da-crianca-02

Claro, sempre lembrando que cada um tem seu tempo e seu estilo de desenvolvimento dentro do processo de aprendizagem. Portanto, estimulação precoce não é receita de bolo, nem uma terapia formal. É apenas uma forma de orientação do potencial e das capacidades dos filhos. É preciso analisá-los e verificar seus pontos fracos, de modo a abrir um leque de oportunidades e experiências de forma natural.

Como estimular o bebê? E com qual idade?

Praticar a estimulação precoce é uma decisão completamente pessoal. A decisão de colocar este método de ensino em prática ou não depende única e exclusivamente dos pais. Porém, a decisão precisa ser tomada rapidamente, pois a flexibilidade para aprendizagem e desenvolvimento do cérebro vai diminuindo com a idade.

Especialistas dizem que esse período de flexibilidade, tempo em que o

desenvolvimento neural está mais ativo é até os três anos de idade. Dessa idade em diante, o desenvolvimento vai diminuindo até que some completamente aos seis anos, quando as conexões neurais estão completamente formadas, fazendo com que o método de ensino e aprendizagem das crianças seja parecido com o dos adultos.

É necessário salientar que todas as crianças passam por momentos de aprendizado diferentes em momentos diferentes. Por isso, é necessário entender as necessidades e dificuldades, pensando em métodos de ensino infantil voltados exclusivamente para ela, que completem seus anseios e fortaleçam sua autoestima. Este momento é de extrema importância, pois a estimulação que o bebê recebe vai moldar o seu aprendizado e desenvolvimento no futuro.

estimulacao-precoce-para-a-inteligencia-emocional-e-cognitiva-da-crianca-03

Mas por que tanta importância?

Não é apenas para a criança que o aprendizado infantil traz bons frutos. Alguns educadores dizem que esses benefícios podem ser estendidos para a sociedade e ate para a economia.

O economista norte-americano James Heckman, por exemplo, criou uma série de métodos para avaliar programas sociais e de educação. Segundo ele, esta educação da primeira infância é o primeiro investimento social possível. Então, quando menor a idade, mais alto será o retorno. Ele ainda aponta em sua teoria que crianças  estimuladas desde o berçário tem mais chances de possuírem rendas mais altas e muito menor de se envolverem em problemas sociais, como vícios, evasão escolar entre outros.

Por isso a importância dos pais na educação e na estimulação precoce para a inteligência emocional e cognitiva. Quanto mais cedo, melhor o resultado da interação. E acompanhe a Kids Shop para encontrar as melhores dicas e os melhores produtos para cuidar dos seus filhos.